FAQ

Que escolas se podem tornar escola IDiverSE?

O IDiverSE foi pensado para escolas nas ilhas.

Existem ilhas e arquipélagos parceiros, nomeadamente, o arquipélago do Açores e da Madeira, ilhas Canárias e Baleares, bem como as ilhas gregas (ainda por determinar),  que terão o suporte da equipa Nacional respectiva.

Para além disso, todas as escolas de ilhas no mundo são bem-vindas a participarem neste projeto e receberão um apoio continuado ao longo do projeto.

Como pode uma escola tornar-se escola IDiverSE?

Caso esteja interessado basta manifestar-se através da submissão do formulário de aplicação de Escola IDiverSE.

O período de manifestação de interesse decorre até ao final do mês de dezembro.

Após terminar o período de manifestação de interesse será contatado pela equipa nacional do projeto IDiverSE.

O que é preciso para ser uma escola IDiverSE?

Para ser uma escola IDiverSE precisam de se verificar em simultâneo 3 critérios. São eles:

  •        Ser ou tornar-se uma escola OSOS (leia mais sobre tornar-se escola OSOS nas secções seguintes)
  •        Implementar a metodologia IDiverSE
  •        Dar feedback da implementação à equipa do projeto
O que significa ser uma escola OSOS?

O que é o OSOS?

O projeto OSOS – Open Schools for Open Societies (https://www.openschools.eu/) é um projeto H2020 que visa apoiar e guiar as escolas a tornarem-se “open schools”, isto é, escolas abertas à comunidade, nas quais os alunos desenvolvem projetos que encontram as reais necessidades da comunidade onde a escola se insere, recolhendo conhecimento e experiência locais e apresentando os resultados dos seus trabalhos de forma pública. O ambiente de uma escola aberta deve fomentar a independência dos alunos através da colaboração, aconselhamento e cocriação e fornecer-lhes a oportunidade de compreender e interrogar o seu lugar no mundo.

Relação entre o OSOS e o IDiverSE

Todas as escolas que implementem a metodologia e as atividades do IDiverSE estarão automaticamente a implementar os princípios de uma escola aberta. Considerando isto, estabeleceu-se uma parceria entre os dois projetos, na qual todas as atividades do IDiverSE serão acolhidas na plataforma OSOS, dando aos professores a oportunidade de se tornarem professores IDiverSE e OSOS ao mesmo tempo.

O que implica ser uma escola OSOS?

Estando a implementar o projeto IDiverSE, terá apenas alguns simples passos adicionais que lhe serão indicados gradualmente e de forma guiada no início da implementação do projeto. Contudo, para a sua informação estes serão os passos adicionais:

- o registo no portal OSOS (http://portal.opendiscoveryspace.eu/en/osos) no qual adiciona a sua escola (caso esta ainda não conste lá)

- O preenchimento de um questionário de autoavaliação da escola (que lhe será enviado por nós) após o seu registo no portal OSOS e o seu registo como escola IDiverSE

- Criação de um plano de abertura da escola à comunidade (a ser criado com o nosso apoio)

- Os alunos que irão participar nas atividades IDiverSE deverão responder a um pré e pós questionário antes e depois da implementação do projeto (a ser enviado por nós para os professores em questão)

O que é a metodologia IDiverSE?

A metodologia IDiverSE reúne um conjunto de ideias e ferramentas, integrando-as de forma inovadora, nomeadamente o Design Thinking, a Aprendizagem Baseada no Inquiry, o Inquiry Colaborativo e os Trilhos da Ciência, assim como a Personal Geography, a Interdisciplinaridade e a avaliação de competências do Século XXI.

Design Thinking

Todas as atividades do IDiverSE, assim como a criação do Trilho da Ciência, seguirão a metodologia do Design Thinking, em quatro passos (Sentir, Imaginar, Criar e Partilhar) que levam o aluno por um caminho de aprendizagem de conteúdos escolares ao mesmo tempo que os integra com um envolvimento com a comunidade, no trabalho de questões locais relevantes.

Inquiry Colaborativo

Tanto as atividades de curta como de longa duração, proporcionarão ao aluno uma experiência de Inquiry Colaborativo, no qual, através de uma plataforma comum (https://globallab.org) alunos de diferentes ilhas do mundo irão recolher dados sobre a mesma problemática que poderão ser posteriormente analisados e comparados de forma colaborativa de forma a responder a questões importantes a nível local e global.

Aprendizagem Baseada no Inquiry

Em cada atividade encontrará referência a diferentes componentes de Inquiry (descubra mais sobre as componentes de Inquiry aqui) que ajudarão os professores a implementar o inquiry nas suas práticas de sala de aula. Estas “desdobram” o Inquiry num conjunto de várias práticas fundamentais que deverão ser implementadas com destaque diferente em cada uma das fases das atividades.

Interdisciplinaridade

As atividades seguirão ainda uma estrutura interdisciplinar através das Grandes Ideias da Ciência. Professores diferentes que implementem diferentes atividades relacionadas com as mesmas Grandes Ideias da Ciência, encontrarão a oportunidade de relacionar as suas aulas e oferecer aos alunos uma imagem ampliada de como os conteúdos se relacionam uns com os outros e com a vida real.  Para além disto, nos casos em que os professores encontrem a possibilidade, as atividades incluem uma componente colaborativa na qual professores de disciplinas diferentes trabalham em conjunto na mesma atividade, a partir de diferentes pontos de vista, envolvendo assim uma abordagem de aprendizagem baseada em projeto.

Avaliação das competências do Séc. XXI

Todas as atividades IDiverSE serão acompanhadas de instrumentos de avaliação formativa e sumativa desenhados especialmente para avaliação do desenvolvimento de competências do Séc. XXI. 

Personal Geography

Personal Geography, que se traduz para o português como "Geografia Pessoal" é uma abordagem artística utilizada para representar e expressar memórias pessoais, sentimentos, sonhos, ideias, etc. Enquanto esta metodologia pode ser explorada de forma meramente artística, no IDiverSE é aplicada de forma a promover em cada aluno uma autorreflexão sobre como cada experiência de aprendizagem tem impacto na sua vida, pensamentos, personalidade, etc. compreendendo melhor a sua própria realidade e partilhá-la de forma mais eficaz com os outros se assim o quiser. O mote que usamos no projeto, como ponto de partida, é: “eu na minha ilha, a minha ilha em mim”. Considerando esta frase, os alunos serão convidados a representar de forma artística como se sentem na sua ilha e que relevância esta tem para eles.

O desenho inicial deverá ser feito antes da implementação, sendo enriquecido ao longo da implementação e finalizado no final. No final da implementação do projeto cada aluno será convidado a criar uma montagem com uma fotografia da imagem inicial, duas no meio e uma final.

Trilhos da Ciência

Os Trilho da ciência são percursos físicos com estações, ou paragens, criados pelos alunos, que visam a consciencialização para tópicos relevantes no âmbito da ciência, cultura local, economia e aspetos sociais da sua comunidade.

Em que consiste a implementação do IDiverSE?

A implementação IDiverSE consiste em duas fases. A primeira direcionada para a implementação de atividades, que decorrerá no ano letivo 2018/2019 entre os meses de janeiro e junho de 2019, e uma segunda que incidirá na criação de Trilhos da Ciência, que terá lugar no ano letivo 2019/2020, entre os meses de Setembro de 2019 a Fevereiro de 2020.

Primeira fase de implementação - Entre Janeiro e Junho de 2019

Os professores apresentam o projeto aos seus alunos e debatem com eles sobre problemas globais e locais que a ilha está a enfrentar. Esse debate deverá ser a base para serem escolhidas atividades a serem trabalhadas pela turma. 

Em conjunto, os professores e os alunos escolhem que atividades irão implementar, com base no debate anterior. Durante a primeira fase deve ser implementada no mínimo 1 atividade, embora recomendamos um número superior.

Os alunos preencherão então um pré-questionário, antes de implementarem qualquer atividade. 

Os professores participantes no projeto irão comunicar uns com de forma a coordenar a implementação das atividades e permitir aos alunos das diferentes ilhas recolher dados ao mesmo tempo e colaborar na sua análise. 

Segunda fase de implementação

O professor deverá orientar os alunos e elaborarem estações para a construção física de um Trilho de Ciência.

Transversal às duas fases de implementação

Ao longo de todo o processo os alunos desenvolverão um portfolio do aluno (que poderá ser individual, em grupo, em turma ou mesmo de toda a escola), e que inclui o desenvolvimento da Personal Geography que será individual.

Antes da implementação a escola deverá estar enquadrada na rede de escolas OSOS e durante o processo de implementação será pedido aos professores a colaboração para disponibilizarem feedback à equipa do projeto relativamente à implementação e aos materiais disponibilizados pelo projeto.

Que feedback é necessário dar à equipa do projeto?

O IDiverSE é um projeto inovador e como tal o feedback dos professores é muito importante para nós. Para que a equipa do projeto possa, por um lado avaliar, e por outro refinar os materiais, prevê-se recolha de informação através de inquéritos por questionário referentes à eficiência metodológica e ao impacto do projeto na turma, na escola e na ilha.

No sentido de ser reunida informação para a construção de um roteiro do projeto e que permita a outras escolas implementarem este projeto posteriormente à sua fase de implementação, contamos também com a contribuição dos professores e alunos IDiverSE na partilha de informação para este fim na forma de testemunhos, fotografias e outros registos que considerem relevantes.

Quem pode participar?

Em cada escola há espaço para a participação da direção, dos professores e dos alunos.

Cada escola deverá escolher um professor que será o contacto entre a escola e a equipa nacional do projecto. Fica ao critério da escola decidir se a pessoa de contacto é um dos professores implementadores ou outro interveniente.

Entre os professores da escola, deverão implementar o projecto de forma colaborativa pelo menos 2 (dois) professores de disciplinas diferentes, entre elas: Ciências Naturais, Biologia, Geologia, Física, Química, Matemática e Geografia. Não existe número máximo de professores por escola e os professores de outras disciplinas serão muito bem-vindos a integrar a equipa. Os professores que implementarem o projeto serão por nós considerados como professores IDiverSE.

Os professores IDiverSE deverão escolher uma ou mais turmas para implementarem as atividades, num mínimo de 25 (vinte e cinco) alunos no total da escola. Uma vez que a implementação do projeto decorrerá durante dois anos letivos, sugerimos que se dê preferência a turmas de anos não terminais nessa escola, de forma a haver um seguimento no ano letivo seguinte com os mesmos alunos. 

A direção da escola terá um papel fundamental na integração da escola na rede de escolas OSOS. Além disso o envolvimento e apoio da direção será também muito bem-vindo no sentido de ser alocado tempo aos professores IDiverSE para trabalharem no projeto colaborativamente.

Que apoio irá receber uma escola IDiverSE?

A equipa nacional manterá com cada escola momentos de contato e acompanhamento.

Além deste apoio, cada escola poderá contar com:

  • Apoio na criação do plano de ação no âmbito da participação no projeto OSOS;
  • Acesso a atividades de curta e longa duração disponíveis no website do IDiverSE;
  • Ferramentas de avaliação do desenvolvimento de competência para o Séc. XXI;
  • Orientações para implementação das atividades de curta e longa duração;
  • Orientações para criação de Trilhos da Ciência;
  • Orientações para desenvolver a Personal Geography;
  • Orientações para criar o portfolio do aluno;
  • Formação de professores (por exemplo, workshops, oficinas etc.).
Quais são os resultados esperados do projeto?

Cada escola, professor e aluno encontrará um conjunto de resultados da implementação do projeto. Os resultados esperados da implementação IDiverSE são:

  • Um conjunto de projetos (criados pelos alunos, no âmbito das atividades IDiverSE, com um significado relevante para a comunidade)
  • O enriquecimento de uma plataforma de recolha colaborativa de dados  - Globallab – com dados relevantes para o Ensino das Ciências
  • A criação de um Trilho da Ciência
  • A construção do portfólio do aluno (incluindo a Personal Geography)
Quais são os benefícios para a escola?
  • Abertura da escola à comunidade
  • Familiarização dos professores e alunos com abordagens inovadoras em sala de aula
  • Acesso dos professores a formação certificada
  • Integração de professores e alunos numa rede de trabalho colaborativo a nível internacional
  • Preparação dos professores e alunos para os desafios do Séc. XXI

Certificação

No final da implementação, serão entregues certificados a todos as as escolas, professores e alunos que tiverem finalizado a implementação do projeto. Mais especificamente, os certificados que serão entregues serão:

  • Certificado de escola IDiverSE/OSOS
  • Certificado de professor IDiverSE
  • Certificado de aluno IDiverSE

 

Caso tenha outras questões cuja informação não encontre aqui, não hesite em contacte-nos para info@idiverse.eu.